1 evento ao vivo

Ator de 'Colegas' diz que não foi tratado como mongolóide

Breno Viola comemorou ter trabalhado "com uma equipe fora de série" e chorou ao lembrar do preconceito que sofreu por ter síndrome de Down

26 fev 2013
21h57
atualizado em 27/2/2013 às 08h00
  • separator
  • comentários

O elenco do filme Colegas promoveu na noite desta terça-feira (26), em um cinema de um shopping em Botafogo, na zona sul do Rio de Janeiro, a pré-estreia do longa-metragem que estará em 140 salas por todo o País na próxima sexta-feira e que, de acordo com o diretor Marcelo Galvão, tem expectativa de atrair um milhão de expectadores.  Animado, o protagonista Ariel Goldenberg – que possui blog no Terra -, sorriu para os fotógrafos. Também participou do evento Juliana Didone, que no longa interpreta uma repórter. Breno Viola, também no elenco, elogiou a equipe: "não tratou a gente como  mongolóide". 

“Queremos que o filme lote os cinemas. Fizemos uma campanha ‘off-Brodway’, sem grandes anúncios, sem uma Globo Filmes por trás, mas, mesmo assim, conseguimos gerar uma grande expectativa sobre o Colegas. Nossa expectativa é a melhor possível”, contou Galvão, em entrevista ao Terra . 

A pré-estreia do longa conta a história de três amigos portadores da síndrome de Down, que se lançam pela estrada em busca da felicidade. O protagonista Ariel Goldemberg contou sobre sua ansiedade na campanha #vemseanpenn, além de seus companheiros nas telas, Rita Pokk, sua esposa na vida real e na ficção, e Breno Viola. 

“Não aguento mais esse frio na barriga, quero que a sexta-feira chegue logo, de preferência com o Sean Penn, ainda tenho esperança que ele venha”, confessou Ariel, que tem gostado muito da sua experiência como blogueiro do portal. “É muito legal poder contar toda a minha experiência com o filme, ajuda a divulgar também que nós somos capazes, podemos fazer sucesso também”, completou. 

Rita Pokk explica que Colegas tem uma grande oportunidade de mostrar para as pessoas “normais” que os portadores da mutação genética podem ter uma vida profissional bem sucedida. “Quero ver alguém decorar as falas que nós decoramos. Somos bons no que fazemos”, desafiou a atriz. 

Emocionado com sua participação no longa, Breno Viola comemorou o fato de ter trabalhado “com uma equipe fora de série, que não tratou a gente como mongolóide” e chorou ao lembrar do preconceito que já sofreu por ter a síndrome de Down. “Já fui chamado de doente por um motorista de ônibus, as pessoas não entendem nada”, lembrou. 

A pré-estreia contou com a presença de famosos como Bruno Garcia, que também dá a sua contribuição pedindo a visita do ator hollywoodiano Sean Penn, na campanha lançada na internet, que já teve a visita de mais de um milhão de internautas, e Giovanna Lancelote, dentre outros. 

Com um orçamento de R$ 5,5 milhões e locações no Brasil e Argentina, em três meses de filmagens, Colegas já teve exibições nos EUA, Itália e Rússia. No Festival de Gramado, arrebatou os prêmios (kikitos) de Melhor Filme, Direção de Arte e o trio formado por Breno, Rita e Ariel ainda levou o Prêmio Especial do Júri. 

“O que o público vai ver a partir de sexta-feira nas telas será uma grande produção, com atores fantásticos que têm uma capacidade incrível de interpretação”, garantiu o diretor Marcelo Galvão. 

Fonte: Terra

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade