PUBLICIDADE

Diretor nega acusações de mortes de animais em 'O Hobbit'

19 nov 2012 20h35
| atualizado às 20h42
Publicidade

Horas após a publicação da denúncia de que 27 animais teriam morrido durante as filmagens da trilogia O Hobbit, feita por um suposto porta-voz do diretor Peter Jackson, o cineasta neozelandês saiu em defesa de sua produção, em comunicado divulgado pelo site The Hollywood Reporter. "Rejeitamos completamente as acusações das mortes devido a maus tratos durantes as filmagens", disse.

Descubra o Sundaytv e tenha acesso ao melhor do cinema e da TV

"Medidas extraordinárias foram tomadas para garantir que os animais não fossem usados em sequências de ação ou qualquer outra que criasse um estresse posterior a eles", prosseguiu, acrescentando que mais de 50% das cenas contaram apenas com animais gerados por computador - incluindo cavalos, pôneis, coelhos, ouriços, pássaros, veados, alces, camundongos, javalis e lobos.

Jackson, que ficou famoso após dirigir a trilogia de Os Senhor dos Anéis, baseada em livro do mesmo autor de O Hobbit, J. R. R. Tolkien, ainda disse ter contado com o monitoramento da American Humane Association, organização dedicada ao bem-estar de crianças e animais. "Lamentamos o fato de algumas acusações feitas por baderneiros que foram dispensados do filme ao longo do ano estarem ganhando atenção agora. Atualmente, estamos investigando todas elas, preocupados em conversar com os envolvidas para chegarmos à verdade", concluiu.

Primeiro longa da trilogia, O Hobbit: Uma Jornada Inesperada chega aos cinemas brasileiros no dia 14 de dezembro deste ano. Ian McKellen e Elijah Wood estão no elenco, voltando a interpretar, respectivamente, Gandalf e Frodo, seus personagens em O Senhor dos Anéis.

Peter Jackson segura claquete durante filmagens do longa na Nova Zelândia
Peter Jackson segura claquete durante filmagens do longa na Nova Zelândia
Foto: Facebook/Divulgação
Fonte: Terra
Publicidade