0

Filme inacabado de River Phoenix é exibido no Festival de Berlim

14 fev 2013
17h58
  • separator

O ator River Phoenix, que morreu em 1993 devido a uma overdose, renasceu nesta quinta-feira no Festival de Berlim com a exibição, fora de concurso, de seu último filme, "Dark Blood", embora sua estreia comercial não esteja garantida por razões legais.

O diretor do filme, George Sluizer, disse que não está claro se a obra chegará a estrear devido a uma disputa com a seguradora que ficou com o material produzido.

"Não chegamos a um acordo. Talvez amanhã. Não sei", disse o cineasta holandês, que demorou vinte anos para completar um filme que foi interrompido dez dias antes de seu final pela morte do ator.

Phoenix morreu aos 23 anos de overdose, do lado de fora de uma boate em Hollywood, que na época era propriedade do ator Johnny Depp.

Sluizer demorou anos para recuperar o material rodado do filme, que começa com o carro de um casal enguiçando em uma estrada do deserto do Arizona, situação da qual são salvos por um jovem de raízes indígenas, interpretado por Phoenix.

"De repente soube, por volta de 1999, que a companhia de seguros onde os rolos tinham ficado depositados iria destruí-los, por isso decidi atuar depressa para recuperá-los", explicou hoje Sluizer, acompanhado por um dos protagonistas do filme, George Pryce.

O diretor conseguiu impedir a destruição, mas Sluizer não trabalhou novamente no material até decidir finalizar o filme, em 2007.

"Me diagnosticaram um aneurisma e achei que ia morrer", explicou. Mas foi apenas dois anos depois, já recuperado, que o diretor realmente voltou a trabalhar na obra.

Foi uma tarefa árdua, porque além de não ter terminado a rodagem também não posso recuperar integralmente todos os rolos que teoricamente tinham ficado armazenados em um depósito.

"Dark Blood" passou por outros festivais antes de chegar a Berlim, e atualmente não é possível saber se ele vai ser exibido comercialmente.

"Estamos falando de outras dimensões. De gente que não entende de cinema ou cultura e que só se preocupa com dinheiro", lamentou o octogenário cineasta.

O filme começa com uma advertência ao espectador do próprio Sluizer, que esclarece que a obra era uma produção inacabada e destaca o futuro que o ator (irmão mais velho de Joaquin Phoenix) tinha pela frente.

Veja também:

Keaton mantém sigilo sobre rumores de voltar a ser Batman
EFE   
publicidade