PUBLICIDADE

'Herbert de Perto' segue tendência dos documentários dedicados a músicos

5 out 2009 22h23
| atualizado em 6/10/2009 às 01h27
Publicidade

De uns tempos para cá a moda dos documentários que abordam a vida e carreira de grandes personalidades da música começou a pegar no Brasil. Fabricando Tom Zé, de Décio Matos Junior, Simonal - Ninguém Sabe o Duro Que Dei, de Cláudio Manoel, Micael Langer e Calvito Leal, e Titãs - A Vida Até Parece uma Festa, de Branco Mello e Oscar Rodrigues Alves, são, para citar, somente alguns exemplos. Herbert de Perto, que estreou no Festival do Rio nesta segunda-feira (5), segue uma outra linha. Dentre os lançamentos recentes, é o que mais se aproxima de Loki ¿ Arnaldo Baptista, de Paulo Henrique Fontenelle.

» Herbert Vianna assiste a documentário sobre sua carreira
» Atores comparecem à prémière de 'O Sol do Meio Dia'

Num traçado supérfluo, ninguém poderia relacionar a história de Baptista, que tentou se suicidar após um grave quadro de depressão, com o de Herbert Vianna, que sofreu um acidente aéreo em fevereiro de 2001 e acabou perdendo a mulher, Lucy. Mas nos paralelos feitos tanto por Fontenelle quanto por Berliner e Bronz, há o discurso central da superação.

Assim como Loki, Herbert de Perto começa seus argumentos no início da carreira de seu retratado - ainda que com menos molho, afinal estamos falando de personalidades completamente opostas. A criação dos Paralamas de Sucesso na década de 1980 é o ponto de partida para as conquistas e derrotas da banda. Mas o grande estopim acontece quando Vianna sofre o acidente em 2001. A partir daí, o conto de fadas fica mais opaco. Tal episódio, no entanto, não é retratado com a derramada de drama habitual, mas sim com uma sutileza que só leva às lágrimas quem realmente está prestando atenção. Esse é o triunfo do filme.

Depoimentos dos amigos Bi Ribeiro e João Barone, assim como do músico Gilberto Gil, recheiam a tela para contar essa segunda fase de Herbert, que mesmo após dias internado e com resquícios de memória, conseguiu se recuperar e voltar aos palcos. As cenas da gravação do disco Hoje (2005) mostram que ele não se deu por vencido e continua com o senso afinado de fazer música, seja para uma situação cotidiana ou para falar da morte de sua amada.

Apesar de carregar o nome do vocalista, Herbert de Perto é, na realidade, um traçado dos Paralamas do Sucesso, chegando até a ironizar outros grupos do gênero que se separaram para que seus vocalistas seguissem carreira solo. Ainda que os diretores tentem o contrário, o filme poderá ser mais atrativo para quem é realmente fã da banda e seu vocalista. Mesmo assim, entra na biblioteca de bons documentários sobre músicos, esquecidos ou não. Que a moda continue.

'Herbert de Perto' é exibido no Festival do Rio
'Herbert de Perto' é exibido no Festival do Rio
Foto: Divulgação
Fonte: Terra
Publicidade