3 eventos ao vivo

"São Paulo engole os desejos", diz Marat Descartes, de 'Super Nada'

17 out 2012
07h35
  • separator
  • comentários
Beatriz Carrasco
Direto de São Paulo

É difícil assistir Super Nada e não se identificar com os dramas existenciais e complexa personalidade de Guto. Interpretado por Marat Descartes, o personagem retrata as angústias de viver em uma metrópole que parece ter vida própria, sugando e influenciando o emocional de seus habitantes. Vencedor do Kikito de melhor ator no Festival de Gramado deste ano, o paulistano contou ao Terra como foi encarnar um homem que se vê perdido na cidade grande e em si mesmo: "São Paulo engole os desejos e coloca as pessoas em um vórtice de loucura, fazendo com que se perca a objetividade".

Na trama, Guto é um ator que, entre bicos e testes, tenta impulsionar sua carreira. Ele, que vive em um pequeno apartamento no centro da capital paulista, tem sua rotina cercada por prédios, viadutos e grafites. "Eu achava que não tinha mais idade para fazer o Guto, porque, na minha cabeça, ele era um personagem de 20 e poucos anos, um ator no começo de carreira, que tenta de tudo. Mas, na verdade, depois fui começando a compreender que o que acontece com o Guto é uma falta de maturidade", observa Marat.

O protagonista ainda tem uma filha - interpretada por Julia Descartes -, que vive com a avó, por ele não ter condições de sustentá-la. Apesar de se descrever muito diferente de Guto, Marat comenta que sentiu seus dramas psicológicos, principalmente quando gravava ao lado de Julia, que é sua filha na vida real. "Alguns momentos me emocionaram muito, pois eu me colocava naquela situação, de não conseguir dar conta da criação da minha filha, que é a minha batalha como ator", relata.

Segundo Marat, a principal reflexão promovida pelo filme é a maneira como a metrópole influencia na personalidade das pessoas, fazendo com que fiquem vulneráveis. "São Paulo também é uma personagem do filme, pois aparece como uma força que suga as pessoas, fazendo com que elas percam sua própria personalidade", destaca o ator sobre o filme, que tem cenas gravadas em meio ao trânsito paulistano e vida noturna na região da Augusta.

Dirigido por Rubens Rewald ( Corpo , 2007), Super Nada ainda traz no elenco nomes como Jair Rodrigues e Clarissa Kiste. Na pele de Zeca, um humorista velho e decadente, Jair traz leveza e comicidade à história. Ele, que apresenta um programa com o formato de atrações como Zorra Total , usa bordões e piadas ultrapassadas, trazendo uma reflexão sobre a decadência do humor na TV brasileira.

No Festival do Rio deste ano, o filme faturou o prêmio de melhor longa-metragem na categoria Novos Rumos. Em São Paulo, a produção foi selecionada para competir na 36ª Mostra Internacional de Cinema, que começa nesta sexta-feira (19).

Na trama, Marat vive um ator que encontra dificuldades para impulsionar sua carreira
Na trama, Marat vive um ator que encontra dificuldades para impulsionar sua carreira
Foto: Marcos Camargo / Divulgação
Terra

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade