PUBLICIDADE

Último filme da saga 'Crepúsculo' faz rir com referências ao Brasil

15 nov 2012 09h15
| atualizado em 17/11/2012 às 16h40
Publicidade
Marina Azaredo

Muito aguardado, o último filme da saga Crepúsculo chega aos cinemas brasileiros nesta quinta-feira (15) e não deve decepcionar os fãs mais ardorosos de Bella Swan (Kristen Stewart) e Edward Cullen (Robert Pattinson). Amanhecer - Parte 2 vem carregado do já característico dramalhão da franquia e de cenas românticas entre o casal de protagonistas. E, depois da passagem dos vampiros pelo Brasil no penúltimo filme, esse ainda conta com referências ao País bastante duvidosas.

Descubra o Sundaytv e tenha acesso ao melhor do cinema e da TV

Em uma das salas do shopping JK Iguatemi, onde aconteceu a pré-estreia do longa em São Paulo, na noite desta quarta-feira (14), o púbico caiu na gargalhada quando surgiram na trama duas vampiras chegadas diretamente da Amazônia, supostamente índias da tribo Ticuna. Com feições mais de negras do que de índias brasileiras e roupas características dos indígenas americanos, elas, juntamente com outros vampiros provenientes de diversos países, têm como missão ajudar os Cullen a acabar com os Volturi, temido clã que persegue a família de Edward e Bella por causa do nascimento de Renesmee, filha do casal.

Acontece que os vampiros do mal acreditam que a menina, que cresce em um ritmo que não obedece a leis humanas, deve morrer pois seria uma humana transformada em vampira e poderia causar vários males à comunidade vampiresca. Então os Cullen se mobilizam para encontrar vampiros íntegros pelo mundo, que serão capazes de ajudar a provar para os Volturi que Renesmee é inofensiva, já que ela tem sangue humano em suas veias - por ter sido concebida quando Bella ainda era humana. Além dos vampiros do bem, o lobisomem Jacob (Taylor Lautner) fica ao lado dos Cullen, pois ele fez um "imprinting" na garota, o que significa que tem um laço eterno com ela e estará sempre disposto a protegê-la. Em meio a tudo isso, Bella tem de se acostumar à vida de vampira, com sua força exagerada e sede de sangue humano. E, para coroar a "participação" do Brasil na saga, no final ainda surgem dois novos índios amazônicos que têm papel decisivo no desfecho da trama.

Com esse roteiro, o filme é recheado de cenas de ação. Há voos extraordinários, uma batalha épica na neve, cabeças cortadas, ataques de lobos, enfim, muitos efeitos especiais. O que deve garantir que os namorados das moçoilas sonhadoras e apaixonadas por Edward não fiquem entediados durante as cerca de duas horas de filme. Já para elas, há uma cena de sexo quase picante, declarações de amor e muitos closes no rosto de Pattinson - além de um Taylor Lautner descamisado, claro.

Como desfecho da saga que arrebatou adolescentes ao redor do mundo, Amanhecer - Parte 2 nem precisava ser um grande filme - e de fato não é. Mas cumpre bem a função de agradar aos fãs. Ao final, Bella, Edward e Renesmee vencem todas as adversidades e ficam juntos, claro - ninguém acredita em spoiler nesse caso, certo? -, com direito a um flashback com cenas do início do namoro do casal.

Cheio de referências aos longas anteriores, Amanhecer - Parte 2 é, sem dúvida, um filme para fãs, mas não funciona sozinho. Assista se você tiver acompanhado a saga desde o início ou se estiver fazendo companhia a alguém interessado - nesse caso, as cenas de ação e as divertidas referências ao Brasil podem até fazer com que o filme não se torne tão maçante. Tentar entender pelo menos um pouco o porquê de tanto frenesi em torno da franquia também pode ser um bom motivo para assisti-lo - embora o ideal fosse começar com o primeiro filme, Crepúsculo. Mas, se você não sabe nada sobre Bella e Edward e está apenas em dúvida sobre o que ver no cinema, definitivamente é melhor evitar Amanhecer - Parte 2. Não se deixe enganar pelo tamanho das filas.

Kristen Stewart e Robert Pattinson em cena da saga 'Crepúsculo'
Kristen Stewart e Robert Pattinson em cena da saga 'Crepúsculo'
Foto: Divulgação
Fonte: Terra
Publicidade