0

"Eu amo essa preguiça", diz Tadeu Mello sobre dublar 'A Era do Gelo'

28 jun 2012
14h39
atualizado às 17h11
Juliana Ranciaro

Que Sid é um dos personagens mais queridos do público em A Era Do Gelo - ao lado do divertido esquilo Scrath, é claro - ninguém duvida. Pela quarta vez, Tadeu Mello empresta sua voz para a animação e, em entrevista exclusiva ao Terra, mostrou que nem ele está imune ao charme do bicho-preguiça.

Descubra o Sundaytv e tenha acesso ao melhor do cinema e da TV

"Eu amo essa preguiça", afirmou o ator, que disse ainda que gosta tanto do personagem que até esquece que a voz é dele. "Eu fico pensando: 'como é possível eu amar um bichinho que nem existe'", desmancha-se.

Sobre A Era do Gelo 4, que estreia nesta sexta-feira (29) no Brasil, Tadeu Mello aposta que vai agradar a família inteira. "As pessoas que fazem os filmes, diretores, produtores e roteiristas, já têm essa consciência de que o que eles criam é algo que pode ser interpretado para diversas idades, uma mensagem com um leque de opções", completou.

Confira a entrevista completa:

Terra - A Era do Gelo chega ao quarto filme, qual é a sensação ao ver que o longa e também o seu trabalho estão dando certo?
Tadeu Mello - A sensação é de que eu amo essa preguiça. Ela tem um carisma, uma coisa tão forte, que às vezes eu até esqueço que a voz é minha. Eu fico pensando: 'como é possível eu amar um bichinho que nem existe'. Mas é isso, o filme é um presente, está muito legal e vai agradar todas as idades.

Terra - Como dublador desta animação, como é a sua relação com as crianças? Elas reconhecem a sua voz?
Tadeu - Eu sou um pouco criança, então a minha relação com elas é a melhor possível. Tenho uma inocência natural dentro de mim, algo bem infantil mesmo, e isso me aproxima dos pequenos. Observo isso com o meu afilhado: nossa relação é uma coisa de energia, a criança tem essa capacidade de captar quem tem a mesma sintonia que ela e é por isso que elas sentem que eu não ameaço elas em nada, não ofereço perigo, é um tratamento de igual para igual.

Terra - Com essa facilidade de se relacionar com as crianças, nunca pensou em ser pai?
Tadeu - Tenho medo de ser pai. Eu penso muito sobre isso, mas morro de medo. Tem que ter uma preparação porque sua vida muda completamente. Passam a ser dois períodos da existência: antes e depois de ser pai. Mas quando minha vida se acalmar mais, quem sabe.

Terra - Qual é o ingrediente que faz A Era do Gelo ser um filme que tanto crianças quanto adultos gostam?
Tadeu - Os diálogos e as piadas. As pessoas que fazem os filmes, diretores, produtores e roteiristas, já têm essa consciência de que o que eles criam é algo que pode ser interpretado para diversas idades, uma mensagem com um leque de opções que é vista de uma forma diferente por cada faixa etária. Acredito que seja uma estratégia para conquistar a família toda.

Terra - Como surgiu o convite para dublar o primeiro filme A Era do Gelo?
Tadeu - Quando fiz o teste, pensei que tinha mandado muito mal, achei que não tinha ritmo. Mas as pessoas que acompanharam são muito boas e perceberam que o timbre que eu tinha emprestado era a cara do personagem. Quando comecei as dublagens, demorava muito. O primeiro filme eu fiz em três dias, falando durante o dia, a tarde e a noite. O segundo filme eu demorei só dois dias, e o terceiro e o quarto consegui terminar em um dia só.

Terra - Você acha que o Sid, por ser o mais atrapalhado e até engraçado, acaba sendo o personagem mais querido do público? E de que maneira você sente isso?
Tadeu - Isso acontece porque é o Sid que cria o conflito, ele que mexe na história, que faz tudo sair da rotina e não ser algo tão certinho. Acredito que é isso que causa emoção nas histórias.

Terra - Como é o trabalho de preparação para uma dublagem? No que ele difere de uma atuação?
Tadeu - É tudo muito disciplinar, faço fonoaudiologia antes, cuido mais da voz para não ficar roco, porque são muitos horas falando sem parar e com o ar condicionado forte do estúdio. É muito desgaste e, como já sei disso, faço tudo o que posso para que as dublagens corram bem.

Terra - Você já dublou o personagem em filmes anteriores. Qual o grande diferencial do Sid nesta edição?
Tadeu - Confesso que dessa vez ele não aprontou muito. As circunstâncias da vida pegaram-no de surpresa e ele só embarcou na história - que fala sobre o derretimento das calotas polares - para salvar a própria pele e a dos amigos. O diferencial é a avó dele, que aparece na trama e é muito engraçada.

Terra - Como você sente a aceitação do público nas ruas?
Tadeu - É muito boa! Às vezes eu posto no Twitter ou Facebook alguma coisa do filme e muitas pessoas comentam e curtem na hora. É de grande repercussão. Esse filme tem uma história de amizade, que é muito forte. É sobre o que um amigo representa na vida de alguém, o bando do Sid, Manny e Diego é unido por essa força.

Terra - Quais são seus próximos planos de trabalho?
Tadeu - Estou dublando o protagonista do desenho Ariol, que é um burrinho azul; faço As Aventuras do Didi, na Globo; e estou preparando um monólogo para 2013.

Tadeu Mello dubla a preguiça Sid
Tadeu Mello dubla a preguiça Sid
Foto: AgNews / Divulgação
Fonte: Terra

compartilhe

publicidade
publicidade